Hospital da Mulher de Fortaleza realiza as primeiras internações

internacao primeirodiaO Hospital da Mulher de Fortaleza começou no dia 21 de julho a fazer internações, dando continuidade à proposta de ampliar os atendimentos de forma gradual. Cinco mulheres que estavam hospitalizadas no Instituto José Frota (IJF) foram transferidas para o novo equipamento de saúde, que está em funcionamento desde o último dia 2 de julho realizando consultas ambulatoriais. O hospital tem 40 leitos reservados para retaguarda do IJF.

As primeiras usuárias dos serviços de internação do Hospital da Mulher apresentam quadros de fratura leve a moderada e devem permanecer na unidade até a estabilização, para serem submetidas a procedimento cirúrgico em outros hospitais municipais. A internação pode durar até duas semanas, dependendo da evolução do quadro.

A costureira Elisabeth Araújo, 73 anos, foi a primeira paciente a ser internada no Hospital da Mulher. Ela fraturou o rádio, osso localizado no antebraço, depois de uma queda na calçada de casa. Agora, aguarda a cirugia no primeiro hospital da cidade voltado exclusivamente para atender as mulheres. Antes, vai precisar estabilizar a pressão arterial e os níveis de glicose no sangue. Na unidade, ela acabou descobrindo que também tem hipertensão e diabetes e está realizando todos os exames para passar pela cirurgia com mais segurança e depois manter o controle das doenças.

Sobre o atendimento no hospital, Elisabeth não esconde a satisfação. "Eu nunca pensei que Fortaleza ia ter um hospital como este. Quero ficar logo boa para poder comemorar com minhas amigas de caminhada", revelou. O filho José Eduardo também só tem elogios sobre o novo equipamento de saúde. "Aqui, as pessoas são bem atenciosas, é muito confortável, tem limpeza e muito cuidado com a paciente".

A satisfação não é um sentimento isolado. "De primeira, o atendimento; um amor", afirma Francisca da Conceição, 48 anos, que está internada no Hospital da Mulher porque foi atropelada por uma motocicleta e teve fraturas no braço, punho, fêmur e bacia. Já a paciente Angela Maria Araújo, 53 anos, escorregou dentro de casa e quebrou o fêmur. Há quatro dias esperando pela cirurgia no IJF, considera que agora está "num apartamento cinco estrelas": "O pessoal é muito bom, muito educado e atencioso. Não tenho palavras".

O Hospital da Mulher começou a fazer internações nos 40 leitos reservados para retaguarda do IJF, ajudando a desafogar o maior hospital de urgência e emergência do Ceará e proporcionando um atendimento mais qualificado para as mulheres que ficavam na unidade aguardando cirurgia. A próxima etapa da ampliação dos atendimentos contemplará as internações na área de obstetrícia e de recém-nascidos em leitos de médio risco.

O atendimento ambulatorial prossegue com a realização de consultas especializadas em ginecologia, traumatolgia e endocrinologia. Desde o último dia 2 de julho, o Hospital da Mulher de Fortaleza já atendeu mais de 800 usuárias. O próximo ambulatório a funcionar será de hebiatria, especializado em consultas para adolescentes. Quando o hospital estiver em pleno funcionamento, as mulheres de Fortaleza terão acesso a 16 especialidades.

As usuárias continuam sendo encaminhadas de outras unidades de saúde para o novo hospital pela Central de Marcação de Consultas e Exames Especializados da Secretaria Municipal de Saúde, que faz uma ligação telefônica para a residência das mulheres e agenda as consultas, informando previamente data e horário. As consultas estão sendo realizadas das 8 às 12 horas e das 14 às 17 horas.